Ressonância Magnética 1.5 e 3.0 Tesla

19 de maio de 2016 Exames 0

A ressonância magnética é o método de imagem do corpo humano mais recente, tendo seu uso se  iniciado nos princípios da década de 80. Diferentemente da TC ela não se utiliza de radiação ionizante. As imagens são formadas através do uso de radiofrequência e de um campo magnético bastante potente.

A maior caracterização tecidual e a capacidade multiplanar tornaram esse método de eleição na avaliação de diversas alterações .

Pode-se obter imagens de quaisquer áreas do corpo humana, com destaque para o sistema nervoso central, sistema músculo esquelético e do abdome. Técnicas avançadas como a espectroscopia, difusão, difusão de tensão e perfusão, permitem estudar a microestrutura de diversos tecidos.

O exame é realizado da seguinte forma:

O paciente deita-se numa maca e é orientado a ficar imóvel, enquanto, por deslizamento, é introduzido dentro de um tubo. Não é necessário nenhum tipo de preparo, porém em exames do abdome, pode ser solicitado um jejum de 4 a 6 horas. Não é necessário interromper qualquer medicação que o paciente esteja tomando.

Por utilizar-se de campo magnético e utilizem marca-passo ou que possuam alguns tipos de implantes metálico não podem realizar o procedimento.

A Ressonância Magnética de 3.0 Tesla possui um campo magnético 2X maior que os aparelhos de 1.5 Tesla padrão do mercado, apresentando imagens com maior definição e precisão, o que propicia detalhes anatômicos excepcionais.

ressonância-magnética-omnimagem